[MÚSICA] CADA PRÉDIO EM SÃO PAULO CONSTRUÍDO, TEM O SAL DO SUOR DO NORDESTINO

 

02/06/2014 | Antônio Ribeiro

Se antes da grande imigração
Nordestina pra terra bandeirantes
São Paulo estava bem distante
De ser a potência da nação

O povo da nossa região
Fez São Paulo tomar outro destino
E agora em todo chão latino
Seu primeiro lugar é garantido

Cada prédio em São Paulo construído
Tem o sal do suor do nordestino


Nordestinos constroem casas belas
Ganham pouco fazendo construções
Fazem casas bonitas e mansões
Só não tem é direito a morar nelas

Vão morar nos barracos das favelas
Onde a voz da esperança ecoa um hino

No lugar pobre, humilde e pequenino
Mora o homem de bem quase escondido

Cada prédio em São Paulo construído
Tem o sal do suor do nordestino

Em São Paulo enfrenta "construção"
Quem nasceu no Rio Grande, Dipoti,
Ceará, Alagoas, Piauí, Paraíba
E Pernambuco, Leão, Sergipe, Bahia,
Maranhão

Esse povo de espírito campesino
Com serrote, martelo, pá e pino
Em seus braços São Paulo foi erguido

Cada prédio em São Paulo construído
Tem o sal do suor do nordestino

Eu que vinha a São Paulo imaginando
Quem encontrar a fortuna e a riqueza
Faz do fraco transporte e da pobreza
Continua até hoje viajando

Trabalhei de servente transportando
Ferro, pedra, cimento e bloco fino
Construí catedral, altar e sino
Hospital e cadeia pra detido

Cada prédio em São Paulo construído
Tem o sal do suor do nordestino

Quem passar em São Paulo o dia inteiro
Vai ver gente de capa, bota e luva
Que parece um carreiro de saúva
Transportando besouro ao formigueiro

Todos correm em busca do dinheiro
Na corrida no alto o seu destino
Imigrante, cansado e peregrino
Solitário, tristonho, arrependido

Cada prédio em São Paulo construído
Tem o sal do suor do nordestino

Como é triste se ver nosso roceiro
A deixar o seu povo e seu lugar
E ser obrigado a trabalhar
De servente, ajudante de pedreiro
Tentando ganhar algum dinheiro
Pra o sustento de um filho pequenino

E da queda de prédios do granfino
Ninguém conta os irmãos que tem morrido

Cada prédio em São Paulo construído
Tem o sal do suor do nordestino

É preciso ensinar nosso povão
Exigir que os nosso governantes
Acabem com as cenas humilhantes
Que nos ferem diante da nação

O nordeste precisa irrigação
Indústria, saúde e mais ensino
Esse chão de errante peregrino
Merecia ser mais reconhecido

Cada prédio em São Paulo construído
Tem o sal do suor do nordestino

Nordestino valente e lutador
Pela seca terrível escorraçado
Por ser vítima da seca é obrigado
A deixar quem lhe trata com amor

Deixar a terra que tem a sua cor
Sapecada do sol esmeraldino
Troca a cor do vermelho purpurino
O cenário opaco e poluído

Cada prédio em São Paulo construído
Tem o sal do suor do nordestino

Nordestino valente e que é guerreiro
Que imigrou pra São Paulo e que venceu
Que deu duro, plantou, depois colheu
Que gera emprego ao povo brasileiro

E nas terra do sul é o primeiro
De empregado passou a ser granfino
Mas se orgulha der um nordestino
E acolhe um irmão oprimido

Cada prédio em São Paulo construído
Tem o sal do suor do nordestino


Música: Cada Prédio em São Paulo Construído, Tem o Sal do Suor do Nordestino
Autor: Sebastião Marinho / Andurinha / Francis Lopes
Álbum: Francis Lopes Vol. 19 Ao Vivo
Ano: 2012

COMPARTILHAR:

+1

@francislopesguerreiro

Blogs Parceiros

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *