FRANCIS LOPES FALA SOBRE AUDITORIAS NOS GASTOS DA FUNDAC AO PORTAL MEIO NORTE

29/01/2015 

Olá amigos do blog A Turma do Francis.

Hoje iremos reproduzir a entrevista que o presidente da  FUNDAC (Fundação Cultural do Piauí) concedeu ao portal de notícias Meio Norte. 

Na entrevista, Francis Lopes falou sobre a realização de auditorias nos gastos da Fundac e dos Pontos de Cultura, dos seus projetos culturais e da dificuldade que a pasta se encontra.

A matéria foi publicada no dia 24 de janeiro de 2015 por Efrém Ribeiro.

Então, boa leitura!

Antônio Ribeiro




"Francis Lopes determina a realização de auditorias nos gastos da Fundac e dos Pontos de Cultura"

O presidente da Fundação Cultural do Piauí (Fundac), o cantor e compositor Francis Lopes, disse, em entrevista ao Jornal Meio Norte, disse que convocou um auditor e um procurador da Procuradoria Geral do Estado para que realizem auditorias na fundação e nos Pontos de Cultura.

Ele falou que sua assessoria jurídica orientou que não assine nenhuma renovação de convênio de programas culturais antes de realização de auditoria porque não está claro como os recursos foram aplicados e gastos. “São projetos que tem lá que uma parte foi gasto dinheiro e tem outra parte para gastar. Aí é que está. A gente não sabe onde foi gasto o dinheiro.

Nós queremos saber justamente isso para que eu assine alguma coisa para dar prosseguimento àquilo que estava conveniado. Foram gastos 90%, quase 100%, eu tenho que entender primeiro o que foi feito. Eu não posso assinar nada. É justamente nessa área que nós pedimos uma auditoria. Vamos fazer uma auditoria geral na Fundac inteira e nos pontos de cultura. Nós vamos fazer um levantamento de como anda, justamente para a gente agir”, declarou Francis Lopes.

Meio Norte – O senhor já tem o diagnóstico de como recebeu a Fundação Cultural do Piauí (Fundac)?

Francis Lopes – Não dá para ter o diagnóstico completo, mas dá para ver algumas coisas. Estamos fazendo o levantamento do que precisa porque os funcionários que estão lá não têm condições de ficar lá porque a situação do prédio é precária. Em uma audiência, eu falei com o governador para saber o que a gente faz para recuperar a casa e, depois, recuperar os pontos de cultura, que também estão em uma precariedade muito grande. Já tive uma reunião com o pessoal do sindicato esta semana e só foi reivindicação. É casa quebrada, é casa sem segurança, é teatro sem segurança, é museu que não tem proteção de nada, as coisas estão todas jogadas, a fiação da casa está em tempo de explodir. As cadeiras estão quebradas. Funcionar daquela forma não é possível. A gente tem que que dar o diagnóstico interno.

Meio Norte – Como estão os Pontos de Cultura?

Francis Lopes – Agora eles só têm reclamações, só têm reivindicações. Paralelo à isso, nós estamos montando o quadro de funcionários, que são alguns funcionários que a gente vai levar lá para dentro porque a Fundac tem muitos funcionários competentes. Agora a gente precisa dialogar com eles, saber o andamento de algum projeto. Por exemplo, tem alguns projetos que a gente não conseguiu entender em relação à maneira de como estão funcionando. Já solicitamos um procurador e um auditor e as informações que eu tenho de minha assessoria jurídica é que eu não assine nenhum convênio antes do parecer da Procuradoria Geral do Estado.

Meio Norte – Que programas são esses que o senhor não está compreendendo?

Francis Lopes – São projetos que tem lá que uma parte foi gasto dinheiro e tem outra parte para gastar. Aí é que está. A gente não sabe onde foi gasto o dinheiro. Nós queremos saber justamente isso para que eu assine alguma coisa para dar prosseguimento àquilo que estava conveniado. Foram gastos 90%, quase 100%, eu tenho que entender primeiro o que foi feito. Eu não posso assinar nada. É justamente nessa área que nós pedimos uma auditoria. Vamos fazer uma auditoria geral na Fundac inteira e nos pontos de cultura. Nós vamos fazer um levantamento de como anda, justamente para a gente agir.

Meio Norte – Quais os programas que o senhor não entende?

Francis Lopes – Está escrito lá os recursos do Siec (Lei de Incentivo Estadual a Cultura) e isso a gente sabe muito bem, mas tem lá dinheiro na conta que está escrito o convênio para a gente assinar a continuação para gastar os recursos e a gente não está entendendo. Por isso é que nós convocamos um auditor para fazer auditorias em todos os projetos que estão lá.

Meio Norte – Quais são as suas propostas para a cultura do Piauí?

Francis Lopes – Por enquanto, nós estamos com o calendário básico da Fundac. Tivemos na comemoração do dia em que Piracuruca aderiu à Independência do Brasil, enviamos o cantor Roraima, a primeira contratação da Fundac, para fazer show na comemoração da adesão de Oeiras à Independência do Brasil. O Carnaval, nós não vamos fazer. Nós fizemos uma reunião com o governador e ele disse que não vai gastar com festas agora neste primeiro semestre. Eu vou ter uma reunião com ele para saber se vai ter pelo menos o Encontro de Folguedos. Do jeito que está, está ruim, mas nós vamos fazer uma parceria com a Seid (Secretaria Estadual de Inclusão de Pessoas com Deficiência) e o nosso primeiro festival vai ser um Festival de Música com Deficientes. Nós vamos montar. Eu vou falar com o coordenador de Comunicação Social, João Rodrigues. Eu acredito que até a semana que vem nós vamos estar divulgando o nosso calendário. O Festival de Música de Pessoas com Deficiência vai ser realizado este primeiro semestre, mas a primeira festa badalada que a gente vai fazer é um festa para arrecadar fundos para ajudar a Seid, no Theatro 4 de Setembro. Vamos sentar, Estamos em parceria para participar do Teleton, que a Seid vai promover em julho para arrecadação para os deficientes.

Meio Norte – Quais as ideias que o senhor quer implementar na Fundac?

Francis Lopes – O nosso objetivo é se voltar para todas as áreas. Te,m muita gente preocupada e diz endo que o Francis Lopes só vai ajudar os forrozeiros, mas isso não existe. Nós estamos voltados para todas as áreas. Eu quero fazer um Festival de Cinema Independente, quero fazer, ao mesmo tempo, nós vamos estar escolhendo as pessoas que tem mais talento na área de roteiro, de atores. Eu quero dar uma força para aquelas pessoas que têm talento para que possam sair e participar de festivais fora. As pessoas dizem que a Fundac não consegue nem dar passagem para um artista e muitas vezes você deixa de descobrir um talento, uma arte por falta de pagar uma passagem para que ele possa participar de u m festival por aí afora.

Meio Norte – Quais são seus outros projetos?

Francis Lopes – Vou promover um Festival de Música envolvendo todos os municípios do todo o Piauí. Vamos fazer Salões de Artes Plásticas e nós vamos abrir espaços para expor os trabalhos dos artistas plásticos. Vamos correr atrás com unhas e dentes. Eu quero promover concursos e festivais como o de cinema e de música.


Fonte: Meio Norte



COMPARTILHAR:

+1

@francislopesguerreiro

Blogs Parceiros

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *